domingo, 11 de janeiro de 2009

"O poder divino do fogo, a chama perdida."

Existe lugar melhor para meditar, do que em frente duma lareira, onde as labaredas se levantam e onde crepita, dando asas à fantasia, conduzindo-nos a pensamentos profundos.

Aqueles que sabem quão belo é observar o jogo das chamas cor de laranja e douradas, a calma e a paz .que daí vêm. As chamas enfeitiçam-nos de uma forma secreta. A sua luz ilumina um pequeno espaço, ficando o resto na penumbra. Desligamo-nos dos problemas, esquecendo tudo o que nos incomoda e nos é penoso. O fogo chamejante, que tanto nos fascina é o símbolo do “calor” perdido. Aquele “calor” que os homens de hoje tato buscam e não conseguem encontrar. O “calor” que é o fundamento da comunhão entre os homens.

Quando há cerca de cem mil anos o homem descobriu a utilização do fogo habitava ainda em cavernas escuras. Podemos imaginar o que significava para ele o fogo que dava luz e calor. O fogo era algo de divino em todas as mitologias. Daí a razão do respeito que o homem por ele tem, que vem do mais profundo do seu ser.

Prometeu, assim narra a saga, trouxe o fogo aos homens, roubando-o do céu. Os deuses, como castigo, acorrentaram-no a um rochedo. Tinha roubado algo divino...

O calor e a luz atualmente não são sinônimo de fogo. Provem de fontes frias e anônimas.

Ninguém procura em sua casa um lugar em que a luz e o calor sejam o ponto central. Cada qual tem a sua luz e o seu calor. Essa possibilidade de separação impede a conservação, é culpada pelo isolamento das pessoas, na tão falta de contato.

Antigamente ia-se procurar luz na casa dos vizinhos, isto é, as pessoas sentavam-se à noite debaixo da mesma luz: vizinhos e amigos; os problemas do dia eram discutidos, as alegrias e as tristezas eram partilhadas. A luz era dispendiosa. Para se poupar luz as pessoas serviam-se da vida em companhia. Ainda não era preciso rebuscar conceitos de vida em sociedade. A boa vizinhança e a criação de amizade eram uma necessidade. As lâmpadas e fogo unem as pessoas.

Hoje muitos homens anseiam pelas chamas, pelo fogo de uma lareira? A amálgama de todos os problemas do dia-a-dia perdeu-se a paz interior. Na busca dessa paz recorre-se ao “poder divino do fogo”.



Nenhum comentário:

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin