domingo, 19 de abril de 2009

Diploma de línguas - Passaporte para o mundo

Anna Paula Buchalla
abuchalla@abril.com.br

Montagem com fotos de Beathan/Corbis/Latinstock, Dida Sampaio/AE e RF


VEJA TAMBÉM
Do arquivo de VEJA
A corrida pelo domínio da língua (04/03/2009)

Os diplomas de proficiência em língua estrangeira tornaram-se documento obrigatório para quem tem ambições na vida acadêmica e profissional.

Eles são indispensáveis para garantir uma vaga nos cursos de graduação, pós-graduação, MBA, mestrado, doutorado ou especialização no exterior. Também funcionam como uma espécie de passaporte para os que pretendem morar e trabalhar fora. Nessas situações, alguns certificados de língua chegam a ser requisito para entrar em certos países. É o caso do Ielts, exigido pelos serviços de imigração da Nova Zelândia, da Austrália e do Canadá. A procura pelos testes de proficiência em línguas cresceu 15% no ano passado – parte desse aumento se deve a uma exigência daqui de dentro mesmo, das empresas brasileiras. Certificados como o Toefl, o principal exame de fluência em inglês, sinalizam um caminho mais curto para uma possível promoção. No universo corporativo, praticamente todo mundo arranha o inglês, e é comum destacar no currículo o "inglês fluente". O diferencial está em provar que, de fato, se domina outra língua. Com a ajuda de especialistas, VEJA selecionou os principais exames e reuniu dicas para quem quer se sair bem na hora da prova.


Inglês


TOEFL (Test of English as a Foreign Language) www.ets.org

Por que fazer: é o mais aceito em universidades e empresas dos Estados Unidos, do Canadá e da Inglaterra. É também o mais exigido por empresas brasileiras, além de ser indispensável para quem quer fazer MBA em escolas estrangeiras. Tem validade de dois anos
Quando acontecem as provas: uma vez por mês
Onde fazer os exames: em centros binacionais e escolas cadastradas indicadas no site
Dicas de como se preparar: o principal desafio, aqui, é
administrar o tempo. Vale a pena recorrer aos cursos preparatórios que ensinam o aluno a responder às questões dentro do prazo. Outra dica é comprar livros que contenham simulados das provas e repeti-los à exaustão
Preço: 380 reais

IELTS (International English Language Testing System) www.ielts.org

Por que fazer: é pedido, sobretudo, nas universidades da Inglaterra. É obrigatório para quem pretende emigrar e validar diplomas em países de língua inglesa. Vale por dois anos
Quando acontecem as provas: em média, quinze vezes por ano
Onde fazer os exames: na Cultura Inglesa e nos consulados britânicos
Dicas de como se preparar: o teste de nível acadêmico é o grande desafio. Os textos a ser analisados abrangem de antropologia a sociologia, passando por medicina e pelos termos cabeludos próprios de cada uma dessas áreas. Não perca tempo com o vocabulário que você não conhece. Depois de uma leitura atenta, vá direto às perguntas e volte ao texto em busca das respostas
Preço: 415 reais


CAMBRIDGE www.cambridgeesol.org

Por que fazer: o certificado é o mais tradicional e o mais aceito nas empresas europeias. Há testes especiais para advogados, executivos e profissionais de finanças. Também é o certificado mais exigido em faculdades brasileiras, em cursos como comércio exterior
Quando acontecem as provas: em junho e dezembro
Onde fazer os exames: na Cultura Inglesa e em escolas de línguas indicadas no site
Dicas de como se preparar: a partir do nível intermediário, é preciso dar mais atenção às questões de gramática e treinar muito o ouvido – vale passar um bom tempo assistindo a filmes ingleses ou a canais de notícias como a BBC. O sotaque britânico ainda é um complicador nas questões de compreensão auditiva
Preço: entre 250 e 580 reais


Espanhol


D.E.L.E. (Diplomas de Español como Lengua Extranjera) http://diplomas.cervantes.es

Por que fazer: é necessário para quem pretende trabalhar ou fazer cursos de pós-graduação, mestrado ou doutorado em países de língua espanhola
Quando acontecem as provas: em maio, agosto e novembro
Onde fazer os exames: no Instituto Cervantes e em escolas cadastradas em todo o país, exceto nos estados de Rondônia, Tocantins, Amapá e Acre
Dicas de como se preparar: é importante ler jornais como El País e La Nación e procurar ter contato com o espanhol falado na América Latina. Apesar de utilizar a norma culta do espanhol, a prova costuma ter questões de leitura e audição baseadas no espanhol latino-americano
Preço: entre 110 e 240 reais


Francês


TEF (Test d’Évaluation de Français) www.fda.ccip.fr/tef

Por que fazer: é o único aceito no Canadá, com exceção da província de Quebec, que tem um teste próprio. Também é pedido por faculdades e empresas francesas. Sua validade é de dois anos
Quando acontecem as provas: em março, maio, agosto e outubro
Onde fazer os exames: na Aliança Francesa e nas escolas cadastradas indicadas no site
Dicas de como se preparar: é importante treinar redações que envolvam situações cotidianas, como cartas de reclamação de serviços, pedidos de emprego ou requerimentos para frequentar cursos e universidades no país
Preço: a partir de 350 reais


DELF/DALF (Diplôme d’Études en Langue Française/Diplôme Approfondi de Langue Française) www.ciep.fr/pt/delfdalf

Por que fazer: o certificado oficial do governo francês é o mais reconhecido internacionalmente para quem pretende trabalhar em empresas francesas
Quando acontecem as provas: em junho e novembro
Onde fazer os exames: na Aliança Francesa
Dicas de como se preparar: todas as questões, sejam orais, sejam escritas, têm peso igual. Ir muito bem em uma delas e falhar completamente em outra é sinônimo de reprovação. Portanto, é preciso estar bem preparado para todas as etapas do teste
Preço: de 160 a 490 reais


Italiano


CELI (Certificazione della Conoscenza della Lingua Italiana) www.cvcl.it

Por que fazer: é o mais conceituado dentro e fora do país. Recomendado a quem pretende ingressar em cursos de pós-graduação, mestrado ou doutorado. Para executivos, existe um teste que avalia a proficiência em italiano comercial
Quando acontecem as provas: em junho e dezembro
Onde fazer os exames: nos centros de cultura italiana e escolas cadastradas em São Paulo, Paraná, Minas Gerais, Ceará, Rio de Janeiro e Santa Catarina
Dicas de como se preparar: é essencial consultar jornais e revistas italianos, como Corriere della Sera e Il Messaggero, para manter-se informado sobre política e atualidades. A prova costuma ter questões sobre esses temas, além de história da Itália. Na prova de nível avançado, o Celi 5, a exigência é maior: é preciso estar preparado para interpretar textos literários e até mesmo alguns provérbios tradicionais do país
Preço: 220 reais


Alemão


Goethe - Zertifikat www.goethe.de

Por que fazer: é pré-requisito para o ingresso em universidades e empresas da Alemanha e para quem quer morar no país. O nível A1 é necessário para aqueles que pretendem se casar com um alemão ou obter o visto de permanência
Quando acontecem as provas: em julho e dezembro
Onde fazer os exames: no Instituto Goethe
Dicas de como se preparar: o site oficial oferece exercícios, cursos on-line, simulados e um teste gratuito com trinta perguntas. Pela internet, é possível fazer cursos preparatórios pagos para os exames Preço: de 210 a 450 reais


Especialistas consultados: os professores de línguas Anna Priolisi e Faust Maurer e o consultor Ricardo Betti

Leo Drumond/Nitro

Diploma de poliglota

O publicitário Rodrigo Calumbi, de 23 anos, tem certificados de três línguas e pretende partir para o quarto exame

Fonte: Revista Veja - Ediçao 2109 - 22/04/2009.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin