sexta-feira, 22 de maio de 2009

“Quem pensa bem vive bem, quem pensa mal vive mal

ENTREVISTA com
Profa. Rosa Maria da Silva Schmidt
Secretaria Municipal de Educação de São José/SC

Após o período de lutas para que na educação brasileira a disciplina de Filosofia tivesse seu espaço, começa um novo tempo de reflexões e apresentação de um ensino e aprendizagem filosófica, condizentes com o momento que vivemos.

Estamos na luta para que o ensino da Filosofia seja vivo, motivador e a causa de um novo pensar crítico, criativo e de transformação em todos os segmentos escolares. Uma reflexão filosófica encharcada de vida.

Apresentamos o que em muitas centenas de escolas vem acontecendo com a nossa contribuição. Uma Filosofia Viva sendo trabalhada por educadores em escolas reflexivas. Uma Filosofia que busca emancipar os professores e alunos, através do pensar, refletir e ter ações condizentes.

Fato histórico foi a aprovação, pelo Conselho Municipal de Educação de São José/SC, da Filosofia na matriz curricular. Muitos outros municípios do país estão mostrando interesse, oficializando aulas de filosofia desde a Ed. Infantil e em todo Ensino Fundamental.

O Centro de Filosofia e a Editora Sophos que compõem o Sistema de Ensino Reflexivo S.E.R., há muitos anos desencadeia o Projeto Filosofia na Escola Pública. A Educação pública de São José é modelo e exemplo para municípios do país.

Vale a pena ler a entrevista com a Secretaria Municipal de Educação, professora Rosinha. Também saber do retrato parcial que acontece em municípios que nos procuram para assessorar e implantar a Filosofia. O ensino/aprendizagem da Filosofia precisa ser vivo e marcante na vida de todos.


“A Filosofia agora é disciplina obrigatória que traz inúmeros benefícios e será ministrada de maneira eficiente em toda Rede Municipal de Ensino, sendo do agrado das crianças, dos adolescentes e de toda comunidade escolar”.


Quem é a Educadora Profa. Rosinha?

Profa. Rosinha: Sou uma professora extremamente dedicada a causa da educação. Que acredita na educação como condição básica para o crescimento social, político e econômico de qualquer nação e em qualquer tempo histórico. Para comprovarmos isto, basta conferirmos a história da Alemanha, do Japão, da Suécia e de tantos outros países que se direcionaram pelo campo da educação e hoje são nações emancipadas no cenário mundial. Hoje ocupo o cargo de Secretaria Municipal de Educação em São José/SC. Uma Rede Municipal que tem na sua matriz curricular a disciplina de Filosofia desde os primeiros anos escolares. Uma Rede que em uma década acredita e defende espaços para que o ensino reflexivo, pela Filosofia, precisa acontecer e é um grande caminho para a escola emancipada que estamos construindo.



Na sua gestão junto a Secretaria Municipal de Educação de São José quais são as prioridades?

Profa. Rosinha: A prioridade maior é a melhoria na qualidade de ensino.
Reduzir a evasão e a reprovação, incluir todas as crianças em idade escolar, garantindo aprendizagem de qualidade para todos. São essas as minhas metas.



A Escola Pública tem uma missão e função essencial. É por ela e com ela que acontece uma melhora na qualidade de vida das pessoas e consequentemente na sociedade. A Rede Municipal (professores, gestores, pais, alunos) está preparada para isso?

Profa. Rosinha: A Rede de Ensino está preparada sim e permanece com formação em serviço para atender as principais necessidades. Os professores recebem formação continuada, baseada nos fundamentos teóricos e metodológicos da Proposta Curricular, construída ao longo dos últimos anos. Os professores a estudam, a reelaboram para que possam repensar o conteúdo ministrado. Vão ao encontro da qualidade de ensino, o que traz como consequência a melhoria na qualidade de vida dos alunos, de si mesmos e familiares da comunidade escolar.



A SME de São José é na história educacional atual, uma das primeiras a implantar sistematicamente o ensino da Filosofia em toda estrutura escolar (iniciou a implantação há 10 anos). Que avaliação é feita sobre a Filosofia na Rede e seus benefícios?

Profa. Rosinha: As aulas de Filosofia são muito bem aceitas por toda comunidade escolar. Há uma verdadeira Filosofia sendo feita, uma filosofia viva, ética e transformadora nas unidades escolares. Temos dificuldades como em qualquer outra disciplina da matriz curricular. Uma delas reside na escolha dos profissionais para trabalhar a reflexão desde a Ed. Infantil até o 5o ano e depois no Ensino Fundamental II e na EJA. Os benefícios são sentidos ao longo dos anos nas mais variadas disciplinas e na vida pessoal do estudante, bem como em diversas situações da vida escolar.



Em 2008 o Conselho Municipal de Educação aprovou a inclusão da disciplina Filosofia em todo processo escolar municipal. A sua Secretaria é hoje modelo para muitas outras, isso não é uma grande responsabilidade?

Profa. Rosinha: Com certeza vejo como um grande compromisso. Mas gosto de desafios. E com a aprovação dessa disciplina na grade curricular pelo Conselho Municipal de Educação, não tem mais volta. A Filosofia agora é uma disciplina obrigatória que traz inúmeros benefícios e será ministrada de maneira eficiente em toda Rede Municipal de Ensino, sendo do agrado das crianças, dos adolescentes e de toda comunidade escolar.



Existe um Departamento de Filosofia na SME que coordena os trabalhos junto as Unidades Escolares de São José?

Profa. Rosinha: A SME de São José tem uma Equipe Pedagógica, nessa equipe há um professor efetivo que coordena o trabalho de Filosofia nas unidades escolares. Sua função é orientar e assessorar os inúmeros professores de Filosofia na Rede. Organizar e coordenar o Café com Idéias (atividade pioneira no Brasil desde 2002) e demais atividades referentes a essa disciplina e suas implicações na vida da escola e das pessoas envolvidas dia a dia.



Uma mensagem para os gestores das Escolas Públicas e para os Secretários Municipais de Educação do nosso país.

Profa. Rosinha: A mensagem que deixo aos gestores das escolas públicas é que invistam e lutem pela conquista do espaço para a disciplina de Filosofia, para uma Educação para o Pensar. Em nosso mundo imediatista e desumano que vivemos, é bom que professores e alunos saiam do lugar comum, da roda viva e parem para refletir sobre a própria vida, a natureza e o mundo. Já dizia Sócrates: “quem pensa bem vive bem, quem pensa mal vive mal”. É preciso que a Filosofia tenha espaço, principalmente na escola pública. Esta cumprirá sua missão se, no exercício de suas funções, for capaz de disponibilizar recursos que favoreçam o desenvolvimento do educando e do educador, no sentido de sua emancipação social, política, econômica e cultural.


Para ler esta entrevista no Jornal Corujinha deste trimestre (Edição 63) e também acompanhar outros excelentes artigos e matérias relacionadas, clique AQUI! Jornal Corujinha Ed. 63


Fonte: http://www.centro-filos.org.br/odiad/

Nenhum comentário:

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin