quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Produção de Texto - Revista Nova Escola

Todos os professores do Ensino Básico - tem um objetivo prioritário: fazer com que os alunos aprendam a produzir bons textos. No site da Revista NOVA ESCOLA , você encontrará o melhor e mais completo material para ajudá-lo a aprimorar o ensino desse conteúdo. Organizado em dez capítulos, com um guia com mais de 120 links para reportagens, vídeos, planos de aula, entrevistas, artigos, citações e portfólios especialmente produzidos por NOVA ESCOLA. Boa leitura!

O QUE ENSINAR
1- Concepção de linguagem

2 - Reconceitualização do objeto de ensino

3 - Condições didáticas
  • Provocação
    Seus alunos estão estudando sobre a Índia, nas aulas de História. Você decide pedir a eles que, em grupos, produzam gibis sobre o tema. É uma boa estratégia?

    Não. Trata-se de um caso típico (e muito comum) de uma atividade que provoca a transformação do gênero. Em História, vale dedicar muito mais esforços à produção de textos típicos do contexto de estudos, como os resumos ou texto informativo, pelo qual se comunica o conteúdo. Para esses gêneros serem produzidos, o trabalho deve ser precedido de atividades de pesquisa como ler textos sobre o tema, sublinhar, resumir trechos, anotar.

    Gibis, por sua vez, têm por princípio a função de entreter, não a de informar. O trabalho de construção de personagens de gibis, por exemplo, demandaria um espforço não compatível com as expectativas sobre o conteúdo em questão (História da Índia).

    Como resultado, os alunos perdem tempo se preocupando com a elaboração de textos e imagens que não vão provocar entretenimento e perdem a chance de aprender a escrever textos informativos e comunicar o que aprenderam sobre a Índia. Esse exemplo hipotético ilustra bem o fato de que, quando se produz um texto, é preciso garantir as respostas a três condições didáticas: O que será escrito (ou qual o conteúdo e o gênero do texto)? Para quê (ou qual é sua função comunicativa)? Para quem (o destinatário)?

    Palavra de especialista
    É preciso garantir as condições didáticas da produção textual (por Cláudio Bazzoni, em vídeo)

    Leia também
    Escrever de verdade
    O que e para que(m)
    Gêneros, como usar
    “Alô , turma de EJA"

    Portfólio
    Um conto, uma fábula e um editorial escritos por alunos

    Na dúvida?
    Gibis podem ser usados em sala de aula? Como?


Continue lendo na Revista Nova Escola...

4 - Modalidades Organizativas
5 - Da reescrita à autoria
6 - Reflexão sobre a linguagem
7 - Avaliação
  • Provocação
    O texto final é o único elemento que deve ser avaliado para compor a nota do aluno?

    Não, ele não é o único nem o mais importante. Você deve avaliar os avanços da aprendizagem dos alunos em diferentes momentos, utilizando variados instrumentos. De modo geral, é preciso partir de um diagnóstico inicial para eleger os conteúdos prioritários, considerando sempre a heterogeneidade da turma, e estabelecer objetivos de aprendizagem. Ao longo do trabalho, a observação atenta do desenvolvimento de cada aluno é a maneira mais recomendada para avaliar o percurso. Finalmente, a avaliação final deve recuperar os objetivos e o diagnóstico inicial, comparando os diversos momentos de cada aluno. É igualmente importante você se auto-avaliar, questionando o tempo todo se as estratégias de trabalho estão sendo eficazes para desenvolver nos alunos os comportamentos escritores esperados.

    Ponto de partida
    O que cada um sabe

    Palavra de especialista
    A necessidade e os bons usos da avaliação (por Telma Weisz)
    Como fazer um bom diagnóstico em escrita (por Cláudio Bazzoni, em vídeo)

    Planos de aula
    Diagnóstico Inicial
    Investigando o comportamento leitor

8 - Produção de texto na alfabetização
9 - Inclusão
10 - Formação de professores em produção de texto


Fonte: Revista Nova Escola

2 comentários:

disse...

Oi Marise!
Tenho o link dessa revista em meu blog porque é muito informativa e cheia de assuntos atualizados, bastante interessante para os que lecionam. Vale mesmo a pena tê-la como fonte de pesquisa.
Aproveito para dizer que tem selinho pra você e a deixo à vontade para aceitar ou não, ok? Bjins e até!

Marise von disse...

Olá Jô,

Obrigada pelo selo.
E muito sucesso!!!
Abraços,
Marise.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin