segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Estudo chato!, por Fábio C. R. Mendes*


“Estudar é chato”: essa é resposta mais frequente dos alunos à pergunta de por que não estudam. Eles reconhecem que o estudo é importante no mercado de trabalho, que é preciso ter cultura, que vão precisar estudar ao longo dos anos e até que suas vidas seriam melhores se gostassem de estudar. Contudo, nada disso faz com que o estudo deixe de ser o que é: “chato”. Esta é a opinião da grande maioria.

Convivo diariamente com esse tema há quatro anos, desde que comecei a trabalhar com alunos de diversos colégios, públicos e privados, sobre hábito de estudo. Levo a ideia de que o estudo não é necessariamente chato: o que há é um tipo de estudo bastante comum com as características da “chatice universal”. Vejamos quais são elas, para vencê-las.

Falta de objetivo: Qualquer coisa que fazemos sem um objetivo será chata. O mesmo vale para o estudo. Que objetivos poderiam ser estes? Uma prova, a aprovação no ano letivo, o vestibular, uma profissão ou a realização de um sonho. É preciso parar, pensar e descobrir qual é esse objetivo. O ideal é que seja de um prazo longo e que o aluno veja na sua rotina a construção deste objetivo.

Imposição externa: Você gostaria de ir ao cinema se sempre fosse acompanhado por alguém que o vigia, opina sobre tudo e critica seu modo de apreciar o filme? Se assim fosse, certamente o prazer iria por água abaixo. É isso o que ocorre com o estudo: por anos, sofremos a imposição externa e só isso já faz dele chato. Precisamos entender que nossos objetivos devem nos motivar.

Ineficiência: Você continuaria gostando de ir à academia se nunca obtivesse os resultados desejados? Pois anos de estudo individual improdutivo fazem desta atividade chata. A solução é melhorar a preparação (local, material e conteúdos) e ter método de estudo.

Empecilho ao descanso e ao lazer: Nem a mais bela namorada teria lugar em nossas vidas se impedisse nosso contato com amigos ou se ligasse sem parar, interrompendo toda e qualquer soneca. Se o estudo sempre tirar espaço do descanso e do lazer, ele será um carrasco cruel. Devemos investir na programação de nossa rotina. Assim, descobriremos horários absolutamente livres, os quais são os momentos ideais de estudo.

Observando esses pontos, o estudo poderá deixar de ser chato. E é importante que se diga: existe sim o estudo prazeroso. Portanto, estudantes, não percam as esperanças!


* Professor

Fonte: Jornal Zero Hora 
Imagem: Aqui

6 comentários:

Wolf Edler disse...

Sempre gostei de estudar e até hoje adoro fazê-lo. Mas nunca estudava o que cairia na prova e sim outras coisas. O da prova eu sempre sabia só de ir à aula. É que minha curiosidade é imensa a respeito de tudo. Não quero saber a utilidade, quero só saber. Isto me dá um prazer enorme. É muito gostoso saber das coisas. Quanto mais difícil, complicado, trabalhoso e demorado, mais satisfação eu tenho em dominar o conhecimento. Tem coisas que não me interesso: esportes, negócios, direito, economia, política. Mas matemática, física, astronomia, cosmologia, geologia, biologia, psicologia, filosofia, literatura, poesia, música, pintura, ah! isto tudo é uma delícia dedicar horas a fio a ler, estudar, pintar, cantar.
Acho que o prazer do estudo está ligado à vitória sobre os desafios e à satisfação de dominar um conhecimento ou uma habilidade, como saber praticar algum esporte ou tocar algum instrumento. Isto aumenta a auto-estima pelo reconhecimento que as pessoas dão ao seu desempenho. Por isto é preciso que os professores, desde bem cedo nas criancinhas, não façam do estudo um castigo, mas um jogo e sejam eles mesmos deslumbrados com o saber, de modo a passar isto para a criança. Assim ela crescerá vendo no estudo algo maravilhoso e desejável, mesmo que sem cobrança.

Renato Brodzinski disse...

Olá,

Muito bom este texto, quem escreveu?

Eu já havia pensado nessas características da "chatice universal" (só não nessas palavras, hehe).

Um fator que poderia ser acrescentado aí é o fato de que todas as pessoas falam para os estudandes que, se eles não estudarem bastante e se derem bem na escola, não serão "nada na vida", não terão bons empregos ou não serão bem aceitos pela sociedade. Ora, com criatividade e boa vontade você pode ir muito mais longe que uma pessoa estudada! A insistência desse tipo de coisa é uma chatice para o estudante!

Bloggirls disse...

É sem objetivo fica tudo meio solto e ao mesmo tempo vão a escola porue são obrigados não porque gostam. Muito boa a reportagem do zero hora. Montão de bjs e abraços

Poeta da Liberdade disse...

É um prazer imenso percorrer por grandes textos e aprender muito com os mesmo.
Muito Bom o bloge, alias sobre esse texto eu conheço pessoas e acho que vcs também conhecem onde as mesmas, rebaixam os estudos com a pura ignorância , para mim isso é um absurdo, pois as pessoas que sabem ler e discriminar uma cultura para mim é ignorância intelectual.
Fique com Deus , seja Feliz.

Fábio C. R. Mendes disse...

Olá,

Eu sou o autor do texto!

Obrigado pelos comentários.

Se quiserem conhecer meu trabalho e meus livros acessem meu blog
estude-sozinho.blogspot.com

Lá é possível acessar outros textos.

Um abraço

You Really Rock Me disse...

A foto escolhida representa bem o que foi a minha vida até hoje. Parabéns pelo post! Abraços.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin